terça-feira, 21 de novembro de 2017

O ódio que uma informação de qualidade suscita! – A Força do Querer

(Jorge Rocha, in Blog Ventos Semeados, 21/11/2017) Uma das dificuldades que a atual governação está a conhecer tem a ver com a desinformação da maioria dos órgãos de comunicação social, quase exclusivamente orientados para hostilizarem, continua e ativamente, tudo quanto está a colidir com os interesses de quem deles possui a propriedade. Por isso nos faz tanta falta uma Mediapart em Portugal, porque gente da estirpe de Valls é o que mais abunda no nosso ambiente político-partidário … e «informativo».
via O ódio que uma informação de qualidade suscita! — A Estátua de Sal

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

ÍNTEGRA DA ENTREVISTA COM JORGE KAJURU AO UOL


Assista à íntegra da entrevista do apresentador esportivo Jorge Kajuru ao UOL Esporte.

Ele falou sobre muitas das polêmicas que acumulou ao longo da carreira na televisão.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

William Waack é afastado pela Globo após comentário racista | Questão de audiência



São Paulo – O apresentador do Jornal da Globo, William Waack, foi afastado pela TV Globo nesta quarta-feira, 08, após um vídeo em que o jornalista faz comentários racistas viralizar na internet. Segundo a emissora, a suspensão será mantida “até que a situação seja esclarecida”. No vídeo, momentos antes de ir ao ar para a cobertura das…
via William Waack é afastado pela Globo após comentário racista — EXAME

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Hélio dos Anjos vê Goiás ganhando corpo e diz que time não sentiu a torcida do Vila | goiás | Globoesporte



No clássico dos opostos o empate não foi bom pra ninguém, mas o sentimento Colorado parece ser mesmo de derrota com o zero a zero. O Goiás somou um ponto que pode ser fundamental para escapar da zona de rebaixamento, o Vila Nova perdeu dois e agora tem obrigação de vencer o Criciúma fora para continuar sonhando.

O Goiás não teve uma grande oportunidade para marcar, mas Hélio minimizou esse fato. O treinador citou que o time esmeraldino está ganhando corpo nesta reta final da Série B, ao contrário do vila Nova, que já está consolidado taticamente.
- O Vila terminou duas boas jogadas. Uma logo no início, depois outra no segundo tempo, em cabeceio defendido pelo nosso goleiro. Nós não conseguimos terminar nenhuma, mas o Vila já tem uma estrutura tática bem definida. Esse time do Goiás está iniciando uma recuperação. Já estamos há três jogos sem levar gol - ressaltou.

Um novo Modelo de Educação | Por Julio Paschoal – Eu Digo Sempre

As estruturas físicas sem bons profissionais pouco ou quase nada adiantam
Há cerca de vinte anos, quando foi aprovada a obrigação da destinação por parte dos Entes Federados de 25% da receita corrente à educação, como professor imaginei que tal fato iria mudar essa área no Brasil.

No entanto, com o passar dos anos percebi que os avanços na área de pesquisa, extensão, capacitação e valorização dos professores não ocorreram da forma imaginada por aqueles que desenharam a legislação e também por mim, enquanto professor, lidando diretamente com a questão educacional em nível superior.

Isso ocorreu por que o legislador ao aprovar a lei que determina o repasse desse porcentual a educação, não o delimitou a partir de um debate amplo com o setor educacional, liderado pelo Ministério da Educação e Cultura. 
Este órgão no meu entendimento se manteve distante dessa discussão, muito embora pela experiência de seus servidores de carreira pudesse dar uma enorme contribuição para que não chegássemos ao século XXI, com tantos problemas nessa área, inclusive de ordem infra-estrutural.

A questão cultural do político brasileiro acaba cegando-o para problemas decorrentes da não delimitação desses porcentuais, colocando-o como cúmplice desse estado de coisas que nos envergonham como o fato de grande parte das Instituições de Ensino Superior não obterem nota acima de dois, bem como as Escolas Estaduais e Municipais, obterem notas inexpressivas no Exame Nacional de Desempenho Escolar – ENADE. 
 O reflexo desses atos é que os responsáveis diretos por ditarem as diretrizes educacionais dão ênfase a investimentos em infraestrutura, construindo novos prédios, ampliando o número de salas de aulas, adquirindo móveis confortáveis, comprando computadores de última geração para a montagem de laboratórios, enfim, optam por questões que lhes permitem colocar uma placa, que em período eleitoral conta ponto para aqueles que provenientes do segmento educacional pretendem disputar um cargo eletivo. 
Uma pergunta poderia ser colocada: É errado investir em infraestrutura como os gestores educacionais fazem? A resposta é não, o errado é gastar mais de 80% dos recursos destinados para educação somente com investimentos em infraestrutura e 20% dividir com atividades inerentes a pesquisa, extensão, capacitação profissional e valorização salarial do professor. 
 As estruturas físicas sem bons profissionais pouco ou quase nada adiantam, vemos isso no Brasil, professores auxiliam na formação de todos os profissionais liberais, no entanto, recebem muito menos do que eles. O que é pior, para sobreviverem de forma digna nessa profissão, precisão trabalhar mais de quarenta horas semanais e ainda “fazer bicos”, o que lhes retiram a condição de melhor prepararem suas aulas, oferecendo aos alunos da rede pública, aulas de qualidade como na rede privada. 
 Nesse sentido não vejo outra saída senão atacar de frente o problema criado com a não delimitação de porcentuais dentro dos recursos constitucionais previamente estabelecidos. Como educador e pretenso pré postulante a uma cadeira na Assembléia Legislativa do Estado de Goiás, tenho como um dos projetos, propor essa modificação primeiramente em nível de Estado e depois junto a um representante no Congresso Nacional, haja vista, que uma modificação dessa magnitude tende a promover resultados positivos no Brasil de maneira geral. 

O que não se pode é não fazer nada em relação a isso e continuar imaginando que com a metodologia atual, os resultados da educação esperados pelo legislador ao aprovar o projeto de lei e pelo Presidente da República a época ao sancionar, seriam capazes de mudar esse quadro caótico do processo educacional no país.

Na verdade, a melhoria do processo educacional no Brasil passa necessariamente pela implantação de um novo modelo, baseado na fixação pelos representantes legais de porcentuais no âmbito dos 25% que premie não só investimentos em infraestrutura, mas também, a pesquisa, a extensão, a capacitação continuada dos professores em todos os níveis da educação no país e por fim, mecanismos para melhorar substancialmente os salários dos professores. 
Assim ocorrendo, tenho certeza que estará se dando um grande passo para que de fato a educação no Brasil, acompanhe os grandes centros da economia mundial, como o presente na Alemanha, Japão, Estados Unidos, Inglaterra, China etc. Nações que tratam a educação como investimento e não como despesa.



JULIO PASCHOAL – Economista, Mestre em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU - MG), Professor Titular da Cadeira de Macroeconomia da Universidade Estadual de Goiás (UEG) e Servidor de Carreira do tribunal de Contas do Estado de Goiás.

Fonte: Um novo Modelo de Educação

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Enquanto a corrupção e a impunidade galopam no lombo dos brasileiros…  – Eu Digo Sempre

Enquanto a corrupção galopa no lombo dos brasileiros surge do nada um debate insano, quase sem sentido, sobre Liberdade, censura e apologias a isso ou aquilo... 

Não que o assunto não mereça mesmo uma reflexão, mas a sociedade pode gastar essa energia debatendo por exemplo se o STF vai ceder a chantagem do Senado e livrar a cara do corrupto Aécio Neves ou se a Câmara vai fazer ouvidos moucos sobre a denúncia contra Michel Temer e seus ministros. 

A vigília sobre estes temas mereceriam muito mais barulho do que temos ouvido por ai, já que a Constituição derruba muitas polêmicas vazias deste debate. 

Parece apenas um factoide cujo o objetivo é desviar o foco de políticos que apostam na impunidade e a massa de manobra não decepciona quando assunto é se deixar usar.




Enquanto a corrupção galopa no lombo dos brasileiros surge do nada um debate insano, quase sem sentido, sobre Liberdade,...

Publicado por Reinaldo Da Silva Cruz em Segunda, 9 de outubro de 2017
https://www.facebook.com/reinaldocruz.goiania/posts/1680936725272998?pnref=story

sábado, 2 de setembro de 2017

Jornalistas da própria Globo avaliam publicação do "Extra" sobre Muralha


Jornalistas do canal a cabo do Grupo Globo desce a lenha no editor do Jornal Extra. Matéria covarde extrapolou todos os limites da ética jornalistica.

O Mundo esta cercado de ódio por todos os lados e matérias como esta do Extra poderia até ser enquadrada como apologia ao crime, sim porque a forma como foi escrito o texto incita a torcida do Flamengo a cometer algo mais grave contra a pessoa do goleiro do Flamengo.

Triste para toda imprensa brasileira.

JORNAL EXTRA MOSTRA O NÍVEL DO GRUPO GLOBO PARA PERSEGUIR PESSOAS


Você pode até não gostar do Muralha, mais isso que o jornal fez é uma humilhação que desfaz da pessoa, do ser humano e joga a massa do Fla contra o jogador, sua família e porque não o próprio Flamengo. Não devemos fazer isso com ninguém e o jornal Extra mostra o nível do seu jornalismo!

terça-feira, 22 de agosto de 2017

''O CORINTHIANS TEVE SORTE NO 1º TURNO'' DIZ COMENTARISTA


Sérgio Xavier disse o trivial, pode ser que ele tenha razão desde que o Corinthians de fato siga perdendo. Os comentaristas hoje em dia jogam para torcida, as falas são sempre em cima dos fatos lógicos e ninguém parece estar disposto a fazer uma analise mais profunda dos esquemas táticos e as formas de jogar. O maior absurdo nem é isso, mas sim o querer levantar a moral dos desmoralizado Flamengo, insinuando que o fla ainda pode crescer e incomodar o Timão. Não Sérgio Xavier, não veremos o Flamengo brigando pelo título deste ano.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Vagner Mancini DISCUTE com repórter e é criticado: "papelão!"


O técnico do Vitória, Vagner Mancini, discutiu com o repórter Felipe Garraffa, da Rádio Bandeirantes, depois de bater o Corinthians e foi criticado no Esporte em Discussão na Jovem Pan de São Paulo.

Arquivo do blog

Pesquisar este blog

Seguidores